capa CD valente4.jpg

Na canção “Valente”, a poesia de Arthur Nogueira ganha mundo a partir de sua cidade natal. As cidades de Belém e Berlim se confundem: “o céu é o mesmo / mistério sem fim / em Belém ou Berlim”, diz a letra. A faixa é a primeira a ser revelada do novo álbum do cantor e compositor paraense, intitulado “Brasileiro profundo”, e chegou às plataformas digitais no dia 16 de setembro. O single produzido por Leonardo Chaves se desdobra em um videoclipe e um documentário dirigidos por Vitor Souza Lima e um livro de artista concebido por Elisa Arruda. O projeto foi selecionado pelo Edital de Música da Lei Aldir Blanc Pará.

“Valente, eu vou”

 

Com letra e música de Arthur Nogueira, “Valente” é uma viagem poética que parte do rio Guamá e deságua no rio Spree, em Berlim. A ideia remonta ao famoso verso de Fernando Pessoa, “pelo Tejo vai-se para o mundo”. Nesse caso, entretanto, o Guamá é o rio de sua “aldeia”. Faixa de abertura do álbum “Brasileiro profundo”, o primeiro de canções inéditas do artista desde “Rei Ninguém” (2017), “Valente” celebra a trajetória de Arthur Nogueira, que em 2020 completou 15 anos de carreira. 

 

“Valente é o meu nome do meio, o nome da minha mãe. É a primeira faixa do novo álbum. Minha mãe e minha terra, onde tudo começa”, explica Arthur Nogueira, que com o novo trabalho contabiliza seis álbuns lançados, dois EPs e singles produzidos com Adriana Calcanhotto, Zélia Duncan e Fernanda Takai. “Eu tenho um disco chamado “Sem medo nem esperança” e um EP chamado “Coragem de Poeta”. A coragem do poeta está relacionada à liberdade. Não preferir a tutela à liberdade, sob nenhum aspecto. No poema “Liberté”, referindo-se à liberdade, o poeta Paul Éluard diz: “nas asas dos passarinhos / escrevo teu nome.” Valente eu vou, e voo”, contextualiza o compositor, garantindo que foi a experiência acumulada na estrada da música que o fez compreender a poesia que seu nome carrega.

 

A canção surgiu durante a turnê que Arthur Nogueira realizou na Europa, em 2019. “A letra da música fala em Berlim porque, em alemão, a pronúncia de “Berlin” é parecida com “Belém”. Quando eu estava lá, algumas vezes eu dizia o nome da minha cidade e os alemães entendiam Berlim”, lembra o artista do Pará, que aportou na Inglaterra, França e Alemanha com o show “Coragem de Poeta”, de voz e violão.

 

Assim como seus outros álbuns, Arthur Nogueira afirma que “Brasileiro profundo” preserva seu interesse em fazer da música uma plataforma de divulgação de grandes poetas e, portanto, de incentivo à leitura. “O fascínio pela poesia foi determinante em todas as minhas escolhas artísticas. Eu tinha mais ou menos 13 anos quando descobri, mexendo na estante de discos do meu pai, a canção popular escrita por poetas, que é uma coisa comum no Brasil. Vinicius foi quem escancarou essa porta, dedicando-se à música com o mesmo rigor e a mesma paixão dedicados à carreira literária. Mesmo quando eu componho sozinho, como em “Valente”, tudo o que eu aprendi de poesia, tudo o que eu li de poesia, mostra-se determinante no trabalho”, garante.

Clique nas imagens e embarque na nova canção de Arthur Nogueira pelo trabalho de três artistas contemporâneos do Pará:

AN por Vitor Souza Lima 4 (1).jpg

Ficha técnica do clipe

Direção: Vitor Souza Lima
Assistente de direção: Sergio Rodrigues
Imagens de arquivo (Berlim): Nina Cavalcanti
Produção executiva: Oscar Lifschiitz e Waxel Silva
Apoio cultural: Combu Vibes e Terra do Meio

 

Ficha técnica do livro de artista

Direção de arte e projeto gráfico: Elisa Arruda
Fotografia: Ana Alexandrino e Vitor Souza Lima
Partitura: Leonardo Chaves

Ficha técnica da canção

 

Voz, música e letra: Arthur Nogueira
Produção musical, baixo elétrico, guitarra

e programação: Leonardo Chaves
Violão: Renato Torres
Piano elétrico: Rubens Guilhon
Percussão: Thomas Harres
Viola: Leonardo Venturieri 
Mixagem e masterização: Rodrigo Sanches
Editora: Sony Music Publishing

Este projeto foi selecionado pelo Edital de Música da Lei Aldir Blanc Pará.

LogosAldirBlanc.png