• Preto Ícone Facebook
  • Preto Ícone YouTube
  • Preto Ícone Instagram
  • Preto Ícone Twitter

contato - contact

CIRCUS produções culturais
contato@arthurnogueira.com
contato@circusproducoes.com.br
55 11 2528 4732

 

 Arthur Nogueira (Belém, 1988) é cantor, compositor e jornalista.

 

Reconhecido como o artista contemporâneo responsável por “renovar a tradição dos poetas na canção brasileira” (O Globo), lançou quatro álbuns e compôs melodias para versos de grandes nomes do mundo. Aos 31 anos, é autor de músicas sobre poemas de Antonio Cicero, Eucanaã Ferraz, Adonis (Síria) e Rose Ausländer (Ucrânia). “Sem medo nem esperança”, parceria sua com Antonio Cicero, é a faixa de abertura do CD e DVD “Estratosférica”, de Gal Costa.

 

Seu álbum de estreia, Mundano (2009), produzido por Felipe Cordeiro, foi lançado pelo tradicional Projeto Pixinguinha e inclui, além de suas primeiras composições, a releitura de Mal Secreto, de Jards Macalé e Waly Salomão.
 

Pelo segundo álbum, Sem Medo Nem Esperança (2015), concorreu a Melhor Cantor no Prêmio Quem 2015, da revista Quem Acontece (Ed. Globo). Lançado pela gravadora Joia Moderna, o disco reúne canções de Arthur Nogueira e parceiros como Antonio Cicero, Omar Salomão, Marcelo Segreto, Marina Wisnik e Letrux. A faixa Fim do Céu foi composta por Nogueira sobre poema do sírio Adonis, traduzido para o português por Michel Sleiman.

 

Em 2016, lançou Presente (Antonio Cicero 70), projeto idealizado pelo DJ Zé Pedro para comemorar os 70 anos do poeta carioca Antonio Cicero. Ao mesmo tempo em que revisita grandes sucessos, o álbum celebra o presente de um dos mais importantes letristas da música pop brasileira. Clássicos como “Inverno” e “O Último Romântico” ressurgem ao lado de novas canções, compostas por Arthur e Cicero, como “Antigo Verão (Embarque para Citera)”. A parceria de Arthur Nogueira e Antonio Cicero começou em 2005, quando o artista paraense, então com 16 anos, musicou o soneto “Onda”, do livro “Guardar” (1996). A dupla lançou também o livro “Encontros | Antonio Cicero” (2013), organizado por Arthur, que reúne entrevistas concedidas pelo poeta entre 1985 e 2013.

Em 2017, com patrocínio Natura Musical, gravou Rei Ninguém”. Nesse álbum, o compositor abre novos universos poéticos, em músicas criadas para versos de Eucanaã Ferraz e Rose Ausländer, na versão em português de um clássico de Bob Dylan ("You're gonna make me lonesome when you go", que virou “Vou ficar tão só se você se for”) e em homenagens aos poetas Ferreira Gullar e Waly Salomão. O álbum inclui também duas novas parcerias com Antonio Cicero, "A hora certa" e "Consegui" (cantada com Fafá de Belém).    

"Rei Ninguém" foi lançado em CD em 2017, com um circuito de shows por São Paulo, Belo Horizonte e Belém. A esperada versão LP, que conta com projeto gráfico da artista plástica paraense Elisa Arruda, chegou ao mercado no segundo semestre de 2018, com distribuição do Selo Circus. O álbum foi indicado ao 19th Latin Grammy na categoria Best Engineered Album.      

Em 2019, lançou o EP de voz e violão "Coragem de poeta", com composições de Cazuza e Frejat, Renato Russo, María Elena Walsh, Orlando Morais e Antonio Cicero. Para o projeto "Nada ficou no lugar", de Adriana Calcanhotto, regravou o sucesso "Cantada". Como produtor musical, dirigiu o álbum e o show "Humana", da cantora Fafá de Belém.


Fotografia de Ana Alexandrino