Dessas manhãs sem amor - 2020

Três anos depois do álbum "Rei Ninguém" (2017), o cantor e compositor Arthur Nogueira volta a apresentar canções inéditas. As obras são resultado de colaborações também inéditas em sua carreira. "Dessas Manhãs Sem Amor", sua primeira parceria com Zélia Duncan, chegou a todas as plataformas digitais no dia 3 de abril. Gravada com produção musical de STRR (jovem produtor paraense) e participação incidental de Zélia (que lê trecho de poema de Safo), a faixa dá prosseguimento ao novo projeto autoral do artista, que consiste em cinco singles realizados com o Prêmio de Produção e Difusão Artística 2019, da Fundação Cultural do Pará (FCP).

 

"Dessas Manhãs Sem Amor" é a terceiro das cinco canções programadas por Arthur Nogueira para o primeiro semestre de 2020. A primeira foi "Pontal", música dele com letra de Fernanda Takai, escrita depois de um passeio de barco em Belém, sua cidade natal. A segunda, "Salvador", tem letra e música do artista paraense e consiste em uma homenagem ao carnaval e à música de rua da capital baiana. Agora, em "Dessas Manhãs Sem Amor", Zélia também escreveu a letra sobre uma melodia de Arthur, mas em um processo diferente do que ocorreu com Takai. Os autores contam que nunca se encontraram pessoalmente e que a canção foi composta pela internet, em trocas de mensagens dos dois.

 

"Quando Arthur Nogueira, um artista jovem e grave, me mandou essa melodia, a gente nem se conhecia. Tinha uma simplicidade, umas cordas de aço tocadas com gentileza e uma voz emocionada. Eu já estava com lápis e papel na minha frente e comecei a pensar quais palavras tristes combinavam com aquela melodia, que tinha uma lágrima e um lindo refrão no meio dela", conta Zélia, que enviou a letra dois dias depois de ouvir a melodia. De acordo com Arthur, a referida tristeza é pela conjuntura política atual, marcada, segundo o autor, pela falta de amor. "O refrão que a Zélia escreveu é bonito e diz que "a paixão vai nos salvar dessas manhãs sem amor". Ainda que muitos filósofos, como Epicuro, desconfiem da paixão, eu entendo que a letra a elogia sob uma ótica artística: a da transformação da impotência em potência", explica.

 

Para desenvolver melhor o assunto, Arthur Nogueira recorre a um trecho do livro que organizou para a série "Encontros" (Azougue Editorial, 2012), reunindo entrevistas do poeta e filósofo Antonio Cicero. "Como se sabe, Safo era uma poeta lírica. Diferentemente dos poetas trágicos, os líricos não cantavam os grandes feitos dos heróis e dos deuses. Eles cantavam, ao contrário, pequenos fragmentos da vida cotidiana, com seus amores, desejos, sofrimentos etc. Entretanto, Cicero observa, em uma das entrevistas, que uma obra lírica monumental, como a de Safo, atribui a esses temas pretensamente menores a mesma dignidade da tragédia. E é nesse sentido que eu acredito que paixão pode nos salvar: despertando em nós a força para transformar a impotência humana em potência, isto é, em grandes feitos artísticos", diz o compositor, cuja obra inclui melodias para versos de Antonio Cicero, Adonis, Rose Ausländer, entre outros poetas.

 

Parceiro de Arthur Nogueira em canções como "Sem Medo Nem Esperança", gravada por Gal Costa, Antonio Cicero colaborou indiretamente com "Dessas Manhãs Sem Amor". Um trecho de sua tradução da famosa ode de Safo a Afrodite é dito por Zélia no início do single. "No século VI a.C., Safo — ou a obra que se atribui a ela — tratou do homoerotismo feminino com beleza e naturalidade. O tradutor, poeta e professor Guilherme Gontijo Flores a considera, inclusive, a "fundadora do canto amoroso homossexual no ocidente". Zélia acabou de lançar um álbum que se chama "Eu sou mulher, eu sou feliz". Por todos os motivos, gostei da ideia de uni-las, a partir da tradução do Cicero, no começo da nossa parceria", celebra Arthur.

 

Assim como "Salvador", o single "Dessas Manhãs Sem Amor" foi gravado em Belém, sob a produção musical de STRR, pseudônimo de Mateus Estrela, produtor de música eletrônica e conterrâneo de Arthur Nogueira. STRR gravou sintetizadores, bateria e programações, Jacinto Kahwage gravou piano elétrico e os dois integrantes da banda paraense Joana Marte, Leo Chaves e Rubens Guilhon, colaboraram no baixo e na guitarra, respectivamente.

Release para a imprensa

2020

  • Preto Ícone Spotify
  • Preto Ícone Deezer
  • Preto Ícone YouTube
  • A Apple ícone social Música
  • Preto ícone Google Play
  • Preto Ícone Tidal

Ficha técnica:

Música: Arthur Nogueira.

Letra: Zélia Duncan.

Produção musical: STRR.

Voz: Arthur Nogueira.

Leitura incidental*: Zélia Duncan.

Guitarras: Rubens Guilhon.

Baixo: Leo Chaves.

Piano Elétrico: Jacinto Kahwage.

Sintetizadores e programações: STRR.

Gravado nos estúdios STRR Home Studio (Belém) e Midas Amazon Studio (Belém). 

Mixado e masterizado por STRR.

Capa de Pv Dias.

*Os versos ditos por Zélia Duncan são do Fragmento 1, de Safo, traduzidos do grego por Antonio Cicero.

  • Preto Ícone Facebook
  • Preto Ícone YouTube
  • Preto Ícone Instagram
  • Preto Ícone Twitter

contato@arthurnogueira.com
55 21 99337-2544